sexta-feira, abril 06, 2012

Macumba Love



A Macumba Love é uma banda formada por quatro mulheres que se encontraram para resgatar o espírito do rock juvenil que estava adormecido. Com o nome inspirado num filme trash da década de 60, a Macumba Love traz como prioridade a diversão dos momentos compartilhados entre meninas, cada vez mais escassos no dia-a-dia da vida adulta. Suas maiores influências são as bandas de rock femininas / riot grrrl dos anos 90. 

quarta-feira, abril 04, 2012

Suzi Quatro


Muitos já devem ter escutado esse nome, afinal Susan Kay Quatrocchio, mais conhecida como Suzi Quatro embalou os anos 70 com suas músicas e até hoje é influência super importante no rock n' roll. A moça nasceu em uma família de músicos e já aos quatorze anos ganhou do papai Quatro um baixo Fender Precision. Depois de conhecer as quatro cordas Suzi não parou mais: formou banda com as irmãs, participou da Fanny, (uma das primeiras bandas femininas a ganhar maior reconhecimento), até finalmente ser descoberta por um produtor e começar sua lendária carreira solo.
De 1973 até os dias atuais a baixista tem quinze albuns (incluindo o ao vivo Live And Kickin' e a coletânea The Best Of...) sendo o último lançado no ano passado e muitos hits para coleção, como "Can The Can", "48 Crash", "The Wild One", "Devil Gate Drive"... e por aí segue. 

terça-feira, abril 03, 2012

Pagu




Pagu/Patricia Rehder Galvão
Poema publicado n’A Tribuna, Santos/SP, em 23/09/1962


Nada nada nada
Nada mais do que nada
Porque vocês querem que exista apenas o nada
Pois existe o só nada
Um pára-brisa partido uma perna quebrada
O nada
Fisionomias massacradas
Tipóias em meus amigos
Portas arrombadas
Abertas para o nada
Um choro de criança
Uma lágrima de mulher à-toa
Que quer dizer nada
Um quarto meio escuro
Com um abajur quebrado
Meninas que dançavam
Que conversavam
Nada
Um copo de conhaque
Um teatro
Um precipício
Talvez o precipício queira dizer nada
Uma carteirinha de travel’s check
Uma partida for two nada
Trouxeram-me camélias brancas e vermelhas
Uma linda criança sorriu-me quando eu a abraçava
Um cão rosnava na minha estrada
Um papagaio falava coisas tão engraçadas
Pastorinhas entraram em meu caminho
Num samba morenamente cadenciado
Abri o meu abraço aos amigos de sempre
Poetas compareceram
Alguns escritores
Gente de teatro
Birutas no aeroporto
E nada.